---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

social
Irati realiza atividade de conscientização ao combate da exploração sexual infantojuvenil

Publicado em 23/05/2019 às 16:39 - Atualizado em 24/05/2019 às 09:59

O público iratiense teve a oportunidade de participar de uma palestra sobre Violência sexual contra crianças e adolescentes. A ação ocorreu no Clube Comunitário e foi organizada numa parceria entre o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e a Secretaria de Assistência Social de Irati.

Esteve palestrando, a assistente social e membra do Conselho Municipal de Direito da Criança e do Adolescente (Cmdca) de Chapecó, Daniele Balestro. O evento foi motivado pela passagem do dia 18 de maio, data em que é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil.

Balestro iniciou a palestra explicando a simbologia do 18 de maio. Nessa data é lembrada da menina do Estado do Espírito Santo, Araceli Cabrera Sánchez Crespo que foi assassinada no dia 18 de maio de 1973. Seis dias depois encontraram o corpo, desfigurado por ácido e por marcas de violência e abuso sexual.

Os suspeitos foram condenados em 1980 e absolvidos no ano de 1991. Em 2000 foi sancionada uma lei para lembrar-se desse caso como símbolo da defesa do público infantojuvenil.

Balestro comentou que a violência e o abuso sexual fazem parte da sociedade atual, com diversos casos dentro do seio familiar. Os dados do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente revelam que de abril de 2018 a abril de 2019 foram registrados 3.848 casos registrados de violência sexual infantil. “O Oeste Catarinense é a região com maior número de incidência”, constata.

Conforme a palestrante, no dia a dia existe sinais de alertas quando o menor pode estar sofrendo alguma violência sexual. Entre eles, comportamentos sexuais repentinos, ansiedade, traumatismos físicos e redução na frequência escolar.  “É importante os pais ou responsáveis se aterem a isso e, se preciso, procurar profissionais da área para pedir ajuda”, comenta.

No sentido de solicitar a ajuda das instituições legais, estão disponíveis: Conselho Tutelar, Delegacia de Polícia e o Disque 100, com ligação anônima. “Uma vítima de abuso ou exploração sexual fica com um trauma psicológico para o resto da vida”, constata a assistente social.

O prefeito Neurir Meurer falou da importância em realizar essa palestra para que os pais ou responsáveis tenham mais zelo para com os filhos. “O trabalho preventivo de conscientização colabora para evitar novos casos de abuso e exploração sexual de menores”, constata.


Galeria de Fotos

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar